“A Islândia, (Islandês: Ísland) é uma ilha montanhosa no Oceano Atlântico Norte, localizada entre a Europa e a América do Norte. Embora não faça parte da massa continental, o país é considerado europeu nórdico. O nome do país – Islândia – pode não ser apropriado: embora 10% da Islândia seja coberta por glaciares, tem um clima surpreendentemente ameno e incontáveis pontos geotérmicos e fontes termais. A ortografia nativa (“Ísland”) também é apropriada em inglês.

[Traduzido de um texto da Wikitravel disponível sob licença CC BY 3.0 AU]

Prepare-se bem antes de partir para a Islândia


Este conselho é tão bom para a Islândia como seria para qualquer outro destino. A coisa mais importante que deve fazer antes de embarcar em qualquer aventura fotográfica é preparar-se para o seu destino. Não conte com a sorte ou acaso, a preparação é 80% do sucesso. Estude o seu destino, a língua, o clima, as pessoas, as tradições, a geografia, a economia, a gastronomia, etc. Isso economizará muito tempo e, muito provavelmente, muito dinheiro.

Entenda o seu impacto na Natureza


A Islândia tem uma população muito pequena de cerca de 350.000 habitantes. Antes de os visitantes começarem a chegar em rebanhos (cerca de 2 milhões por ano de acordo com dados de 2017 do Conselho de Turismo da Islândia), a maioria dos hoje em dia locais famosos da Islândia, não precisavam de grandes estacionamentos, infraestruturas de segurança, placas, caminhos ou até mesmo um grande número dos guardas de parque.

Um desafio incrível para a Islândia e para o seu povo e governo, será desenvolver uma forma de lidar com seus novos e entusiastas visitantes, preservando o espírito ileso de uma das paisagens mais exclusivas do mundo. Seja uma parte da solução, não uma parte do problema. Seja responsável, seja respeitoso. Aprecie a Islândia, mas ajude a preservá-la para os outros.

Use o senso-comum


Temos alguns milhares de horas de Islândia nas costas e pés, e podemos dizer que já vimos de tudo: vimos um comportamento adequado em grande parte dos turistas, assim como também vimos uma boa parcela comportamentos não tão adequados. Vimos turistas a passearem pelo Sólheimajökull (glaciar) de sapatilhas, calções e casaco fino. Vimos escorregões e quedas. Também vimos muita gente com frio extremo e a caminho da hipotermia ao longo dos nossos itinerários. Já vimos gente a mergulhar em Jokulsarlon em roupa interior e também já vimos sessões fotográficas de biquíni na Icy (ou Diamond) Beach.

Infelizmente, há muitos incidentes com turistas e visitantes e quase todos são devidos ao mau uso do senso comum. A maioria dos lugares está a tentar tornar-se “à prova de idiotas”, colocando cordas, barreiras, cercas e sinais na maioria dos locais. O problema é que os “idiotas” são naturalmente engenhosos quando buscam uma maneira idiota de se colocar em perigo. Não seja esse turista!

Leve os avisos meteorológicos a sério.


O clima islandês é altamente volátil e caprichoso, não importa onde esteja ou o que ouviu nos noticiários há meia hora. Um dia de sol pode rapidamente transformar-se num dia de tempestade de neve, e as variações aumentam ainda mais à medida que viaja para as verdadeiras entranhas da Islândia. Nunca subestime os avisos meteorológicos! Tente obter o máximo de atualizações possíveis sobre as previsões do tempo. O Icelandic Met Office (en.vedur.is) é um ótimo lugar para começar.

Use roupa e equipamento adequado.


Parte deste ponto já havia sido abordado quando mencionámos o “senso comum” há alguns parágrafos. Seja inteligente, esteja seguro(a)! Consiga alguns mapas bons e atualizados, equipamentos adequados, além disso, aposto que já ouviu isto antes: bom senso. Consulte uma lista decente de preparação de caminhadas para climas frios e respeite-a.

Nada de caminhadas com jeans, nada de passeios e escaladas em glaciares sem supervisão adequada, nada de atravessar cursos de água (rios ou outros) em veículos inadequados, nada de camping sem tendas impermeáveis e isoladas, etc. Conte com uma empresa como a Viewpoint Tours para consultoria e orientação. Estamos aqui para si, mas entretanto leia o nosso guia definitivo para acampar na Islândia.

Beba água da torneira.


Sim! Não passe por idiota. É pura, maravilhosa e ainda por cima é grátis. Os islandeses vão olhar para si de lado se pedir água engarrafada embora com as enormes multidões de turistas que invadiram a Islândia, o comércio se comece a “aproveitar” do facto de tanta e tanta gente querer uma garrafa de água. Garrafões ainda não existem à data de escrita deste post. Pode beber água da torneira sem qualquer tipo de restrição a não ser, claro, que haja uma clara indicação em contrário.

Se vai conduzir, mantenha-se nas estradas adequadas.


Saiba quais estradas estão acessíveis para a classe de veículo que está a conduzir. Além do principal anel viário da Islândia (N1), os pequenos troços de estrada alcatroada ou de gravilha, estendem-se até à maioria das comunidades. Desfrute das estradas mais acidentadas e de gravilha (F-Roads), muitas delas apenas transitáveis por 4×4, mas esteja ciente do que pode encontrar. As F-Roads são, definitivamente, inseguras para as viaturas mais pequenas.

Entenda que se conduzir um 2WD numa F-Road, invalidará o seu seguro e todo e qualquer dano ou prejuízo lhe será imputado. Para além disto, poderá ser autuado. Da mesma forma, tentar atravessar um rio (ou qualquer curso de água) num um veículo com tração a duas rodas ou com uma tração às 4 rodas mas que seja baixo, é pedir sarilhos. Na Viewpoint,  conseguimos as melhores e mais adequadas viaturas para nossas viagens fotográficas. Por favor, consulte o nosso guia sobre F-Roads para mais informações.

Banho? Sempre antes de entrar numa piscina!


Uma parte relevante da dádiva da paisagem vulcânica da Islândia são as suas características geotérmicas. As maravilhosas fontes termais naturais que encontrará ao longo do caminho, desde o centro da cidade de Reykjavik aos fiordes orientais, são um presente maravilhoso da Natureza. É praticamente um passatempo nacional acertar a conversa nos famosos hotpots islandeses e debater sobre os aspectos mais mundanos da vida. É, no entanto, uma regra absolutamente obrigatória de higiene e etiqueta, lavar-se por inteiro, bem e com sabão, antes de vestir a sua indumentária aquática e entrar numa fonte termal ou piscina.

A maioria das piscinas da Islândia não é quimicamente manipulada, portanto, a limpeza é uma preocupação genuína e relevante. Quer esteja na prestigiada Blue Lagoon ou mergulhando no remoto Krossneslaug, não há maneira mais rápida de perturbar um islandês do que entrar sem tomar um banho apropriado. Também deve tirar os sapatos e colocá-los no rack fornecido para o efeito ao entrar em qualquer vestiário.

Leia com atenção a letra-miúda do aluguer de viaturas.


Se não tiver certeza de alguma coisa, não deixe o escritório de aluguer de viaturas até saber ou entender exatamente o que pode ou não fazer. Leia a chamada “letra miúda”, faça perguntas e não deixe de exigir resposta para as mesmas. Tivemos alguns problemas no passado enquanto visitávamos a Islândia enquanto particulares. Problemas, podemos assegurar, não são uma consequência de lidar com grandes ou pequenas empresas de aluguer. Existem bons e maus exemplos em empresas pequenas, como existem com marcas grandes e bem conhecidas. Temos apenas duas empresas com as quais trabalhamos e não planejamos mudar tão cedo, porque boas empresas são muito difíceis de encontrar. Na Islândia ou em qualquer lado.

NÃO assuma que o seguro do aluguer de viatura cobre tudo.


Há certamente muitas ocorrências que pode pensar que estão cobertas coberto pelo seguro de aluguer de viaturas (mesmo o mais extenso) mas que efectivamente não estão. São muitas e seria uma tarefa monstruosa enumerá-las. Mesmo a maior cobertura possível não cobre tudo. A maioria das companhias não oferece cobertura para:

  • Danos causados pelo vento;
  • Danos resultantes de impactos em animais;
  • Danos ao chassi da viatura;
  • Danos causados por condução em gravilha, incluindo parques de estacionamento;
  • Se conduzir um 2WD numa F-road (não permitido), o seu seguro pode ser automaticamente revogado;
  • Muitas outras causas podem não ser cobertas.

Respeite os limites de velocidade impostos.


Sim … nós sabemos … você sempre dirige abaixo dos limites legais de velocidade. Mas supondo que você pode às vezes se distrair, considere usar um carro com controle de cruzeiro desde a regulamentação, vigilância e penalidades são uma coisa séria na Islândia. Há muito (e acredito que “muito” significa “um lote inteiro”) de radares de velocidade ao longo das estradas principais (especialmente Ring Road). O limite de velocidade é de 90 km / h na Estrada 1, com trechos de dezenas de quilômetros às vezes. Monotonia pode motivá-lo a ir mais rápido, mas acredite, não vale a pena. Mesmo que sua própria segurança não seja motivação suficiente, considere as perdas financeiras um bom argumento.

Existem diferentes limites de velocidade para estradas secundárias, de cascalho ou de montanha. Informe-se antes de sair e preste muita atenção aos sinais de trânsito. Não há desculpa suficiente para quebrar a lei. Além disso, mesmo se você acha que enganou o sistema e seu excesso de velocidade não foi visto, não se animar muito cedo, pois as multas geralmente chegam na forma de cobrança por cartão de crédito. Mesmo se você não for parado pela polícia, as empresas de aluguel serão multadas e, com certeza, cobrarão pelo menos a mesma quantia que pagaram. Não espere pequenas multas.

NÃO tenha medo de tentar falar islandês.


Este é também o tipo de conselho que pode usar em todos os destinos! Todos os nativos gostam de ver os visitantes a tentar falar na sua língua. Nós adoramos quando os nossos clientes estrangeiros aprendem a dizer “muito obrigado” antes de nos conhecerem pessoalmente e nos surpreendem com tal gesto. Muitas vezes, este tipo de gesto, é visto como um sinal de respeito e interesse significativo na cultura que se visita. Aprenda pelo menos algumas palavras do islandês. Um “muito obrigado” vai sempre levá-lo(a) a algum lugar. “Takk fyrir”!

NUNCA conduza off-road. Nunca!


Nunca conduza fora de estrada! É absolutamente ilegal e incrivelmente destrutivo para a frágil flora da Islândia. Conduzir numa montanha ou F-Road não é condução, frisamos, não é, condução off-road ou fora de estrada. Não confunda os termos. Mesmo com um 4WD, uns rodados enormes e um motor potente, mantenha-se sempre dentro dos caminhos e estradas – melhore ou piores – destinados à circulação automóvel. Conhecemos casos de elevadas coimas, detenções e mesmo de “convites” à saída do país de gente que não entende o mais básico do comportamento enquanto condutor.

DESFRUTE do que a Islândia tem para oferecer, com tempo e calma.


Não ande a correr de um lugar para outro apenas para tirar uma selfie ou uma foto de um POI famoso. Leve o seu tempo a desfrutar do que a Islândia tem para oferecer ou não vai conseguir sentir-se tão satisfeito quanto esperaria antes de iniciar a sua visita. É bem melhor visitar 5 pontos de interesse levando o tempo suficiente para absorver toda a beleza e energia positiva do que andar em correria de um POI para outro apenas para uma actualização do Instagram.

Na Viewpoint inserimos muitos POIs nas nossas viagens fotográficas à Islândia e cremos que provavelmente não encontrará um itinerário melhor do que o nosso para o fim a que este tipo de programa se destina. Contudo, fazemos muitos testes e análises no terreno antes de irmos a público com a nossa experiência de tour ou viagem. Connosco terá bastante tempo para aproveitar cada POI, já que não perdemos tempo à procura de todos esses lugares especiais. Temos tudo planeado e essa é a razão pela qual um itinerário de 12 a 13 dias pode ser compactado numa viagem fotográfica de 7 a 8 dias.

Descubra mais informações acerca das nossas viagens fotográficas à Islândia.