fbpx

Nas terras altas islandesas encontram-se, indiscutivelmente, os locais mais incríveis do território e, naturalmente, os locais mais apetecíveis em termos fotográficos. Não estão ali “à beira da estrada” nem fazem parte dos vulgares pacotes de viagem comercializados por esse mundo fora. São difíceis de alcançar, carecem de um bom conhecimento do território e do uso de viaturas adequadas. São locais belíssimos, menos sujeitos às hordas de turistas que invadem hoje os locais mais “típicos” da Islândia, mas são também os locais que não cabem num tour pelo Golden Circle, numa voltinha de carro pela N1, ou num pacote de spa e relaxamento na Blue Lagoon. Todos esses “pacotes de experiências”, claro está, são tão válidos como quaisquer outros, contudo, para aquilo que nos move, não servem para coisa nenhuma.

E uma das questões mais recorrentes que vamos recebendo aqui pela Viewpoint, naquilo que diz respeito à Islândia é mesmo…

Qual é afinal a melhor altura para visitar as terras altas da Islândia?

A resposta correcta será necessariamente: “Depende dos seus objectivos!”. Contudo, e porque nem toda a gente quer ou pode fazer mais do que uma visita à Islândia, tentaremos de seguida descrever as características de acessibilidade das highlands islandesas para cada estação do ano. Claro está que o uso do bom-senso deve imperar, i.e., o primeiro dia da primavera é necessariamente diferente do último.

Quase toda a gente quer saber se Laugavegur está acessível em determinado mês, se o trail de Fimmvörðuháls está acessível ou bloqueado, etc. O acesso e trânsito nas terras altas islandesas depende quase exclusivamente das condições meteorológicas, e estas dependem muito da altura do ano. O “quase” ali atrás pretende revelar apenas excepções pontuais como erupções vulcânicas, aluimentos de terras, inundações provocadas pelo derretimento das geleiras, etc. Enfim, uma segunda feira normal na Islândia!

As terras altas islandesas no verão!

O acesso às terras altas da Islândia durante o verão, representam o período em que é mais simples embarcar numa aventura pelos trilhos, f-roads e recantos de uma das mais belas paisagens do planeta. Lembramos, contudo, que é exactamente no verão que mais água corre nos leitos de rios e canais. Devido é elevada mutabilidade da paisagem islandesa, um rio que em 2016 tinha o seu ponto de travessia em X, pode hoje tê-lo deslocado para Y e aumentado ou diminuindo a sua profundidade. Saiba exactamente aquilo que está a fazer. Não há muito dias, demos conta da morte de uma mulher norte-americana, em lua de mel da Islândia, que infelizmente foi subjugada pela força das águas de um rio que, pessoalmente, já cruzei uma meia-dúzia de vezes. Nem sempre é possível fazê-lo, claro está.

Assim, de verão:

  • Existem transportes públicos (autocarros) muito especiais, que se deslocam a diversos pontos das highlands. O primeiro destes transportes, mais próximo de Reykjavik que se apresenta como interessante, é o autocarro que parte de Seljalandsfoss pela f-249 adentro, cruzando inclusivamente o Steinholtsá, o tal rio que reclamou a vida da turista norte-americana acima mencionada. Destinos como Landmannalaugar, possuem também autocarros que os servem;
  • Os abrigos de montanha encontram-se sempre abertos e muito deles em operação (com manutenção);
  • As equipas de salvamento da Highland Patrol islandesa, operam apenas durante o verão;
  • Com quase 24 horas de luz por dia, pode explorar o território durante muito mais tempo, mas não se esqueça, caso acampe, que adormecer é uma tarefa bem complicada para alguns. Leve uma daquelas máscaras de dormir. Ajuda bastante;
  • Verão na Islândia não quer necessariamente dizer “bom tempo”. Prepare-se para umas boas chuvadas, muito vento e muita corrida para os abrigos.

O outono e a highlands islandesas!

Claro está que com o piorar das condições meteorológicas surgem as dificuldades no acesso às terras altas. A paisagem muda, o clima altera-se, as infraestruturas de apoio como os abrigos e os parques de campismo começam a pensar no encerramento e, consequentemente, todas as viagens fotográficas (e não só) sofrem com estas mudanças.

No outono:

  • Assim que ocorre a primeira queda de neve, as estradas de montanha passam a ser identificadas como “intransitáveis” (impassable). Esta definição diz-lhe que pode avançar por sua conta e risco, mas que o mais certo será não ir muito longe a não ser que conduza um 4×4 modificado (pneus, suspensão, distância ao solo) e um condutor experiente neste tipo de condução;
  • O serviço de transportes públicos (autocarros) cessa funções em meados de setembro;
  • Os zeladores dos abrigos de montanha abandonam os mesmos e encerram a grande maioria deles. As cabines de Landmannalaugar e as Volcano Huts de Þórsmörk são as únicas que operam durante todo o ano;
  • As equipas de socorro estão agora a maior distância de potenciais acidentes e consequentemente levarão mais tempo até chegar ao local de qualquer ocorrência.

O inverno está a chegar!

O inverno islandês é rigoroso, é um facto. É nesta altura que menos turistas visitam o país, que menos gente se aventura nas estradas e que menos luz (em intensidade e duração) beija a superfície da Islândia. O acesso às terras altas fica muito dificultado e só alguns locais podem ser acedidos e mesmo assim, em condições muito particulares.

  • No inverno grande parte da Islândia está coberta de neve e as terras altas ainda mais. Quem diz neve, diz gelo! O acesso às terras altas só pode ser feito a pé e nem um 4×4 modificado e com um condutor muito experimentado o poderá fazer. As estradas de montanha estão encerradas nesta altura;
  • O acesso a pé é permitido, também o é por moto de neve ou por esquis de cross-country, mas estas formas são um desafio apenas ao alcance de caminhantes e esquiadores muito experientes e capazes;
  • As missões de salvamento ficam muito dificultadas e o acesso a uma eventual ocorrência pode colocar-se sempre entre “muito difícil” e “absolutamente impossível”.

O despontar de uma (re)nova(da) Islândia!

Durante a primavera, um dos períodos que considero mais interessantes para uma visita à Islândia e às highlands, o acesso às terras altas, apesar de estar longe de ser impossível, está limitado.

Assim, na primavera, saiba que…

  • Começa a haver mais água no estado líquido, consequentemente começam algumas dificuldades na travessia de rios, etc.
  • Na primavera a vegetação está numa fase muito sensível do seu ciclo anual e, no sentido de proteger a natureza, muitas das estradas de montanha encontram-se ainda como “encerradas” e não apenas “intransitáveis“, o que torna absolutamente proibida a circulação automóvel nas mesmas. As multas são avultadíssimas;
  • Mesmo a pé, deverá ter muito cuidado para não destruir a vegetação. Comportamentos irresponsáveis e lesivos para com a natureza, são punidos severamente;
  • Retomando o primeiro ponto desta lista, lembre-se que mais água significa mais lama, mais lama representa uma maior dificuldade na locomoção e na condução automóvel.

Em jeito de conclusão…

Preferências à parte, é percetível que a estação do ano em que o acesso às highlands é mais facilitado é, sem grandes dúvidas, o verão. Não se esqueça, contudo, que a condução em estradas de montanha (as famosas f-roads) apenas admitem o trânsito de viaturas todo-o-terreno e que mesmas estas, quando não modificadas, podem ser insuficientes. Veja o nosso post sobre as f-roads para mais informações.

Se planeia acampar, não se esqueça que o verão islandês não é o verão português! Chuva e muito vento são condições perfeitamente normais.  Por último, um conselho que serve para a Islândia ou qualquer outro destino: se tem dúvidas, se parece perigoso, NÃO AVANCE!

Boas viagens!

One thought on “Quando deve visitar as highlands da Islândia

  1. Pingback: Circuitos Turísticos na Islândia - Guia e Dicas para viajar na Islândia

Comments are closed.