A Ilha de Skye é, sem qualquer margem para dúvida, um dos destinos europeus mais populares para fotografia, e certamente o mais popular de toda a Escócia. Sempre que temos a sorte de calcar os trilhos de Skye, trocamos frequentemente dois dedos de conversa com fotógrafos canadianos, norte-americanos, franceses, alemães, polacos, etc.

É um local de uma beleza singular, num clima e geografia muito particulares. Skye está carregada de paisagens deslumbrantes! Apresenta uma paleta de cores impressionante e muito variável ao longo do ano. Trilhos para caminhadas há-os para todas as idades e níveis técnicos. As localidades, das quais se distingue Portree – capital da ilha – são muito limpas e organizadas, sendo que o único foco de “destabilização” são os inúmeros turistas que em determinadas alturas do ano invadem Skye.

Este pequeno post procura identificar e alertá-lo(a) para essas alturas do ano em que deve evitar Skye. Claro que se a alternativa for nunca visitar, então vá. Skye é um destino que deve fazer parte da lista de locais que já visitou. Lembramos que publicámos há algum tempo um guia definitivo para fotógrafos que visitem Skye.

Quando visitar a Ilha de Skye?

As questões que mais nos fazem relativamente a Skye – diria mesmo que mais de 80% das vezes – recaeem sobre o tema “quando visitar a ilha?”. Bom, antes de qualquer outra coisa, o clima é melhor entre maio e setembro. Quanto a isto poucas dúvidas existem! Contudo, os meses de verão, em particular o mês de julho e agosto – dando tolerância à avaliação de junho – são de alta ocupação da ilha. São época-alta e por “alta” entenda, “insuportável”. Os B&B’s para julho e agosto estão esgotados com 3 meses de antecedência e as vagas a 5-6 meses já são, regra geral, para segundas escolhas. Os parques de estacionamento próximos dos trilhos estarão sempre sobrelotados, o comportamento dos visitantes nem sempre é o melhor (quer na estrada, quer nos trilhos) e, locais como Portree, fazem lembrar uma feira desorganizada pelo espírito de missão que invade o frequentador de gift-shops. Junho é último dos meses “bons” ou, se preferir, o “menos mau” dos piores meses.

Os meses de abril e maio, onde centramos uma das opções de viagem fotográfica a Skye, são os meses mais secos. Se o frio não for uma preocupação especial, então será uma boa altura para visitar a ilha. Setembro é um mês de que também gostamos muito! Em termos de cores e contrastes, pessoalmente, é das melhores alturas para visitar a ilha de Skye. Claro que também poderá visitar Skye mais tarde no ano e arriscar mesmo o inverno, mas a verdade é que a chuva, o frio e, até mesmo alguns bloqueios por força das quedas de neve, poderão ser obstáculos a enfrentar.

O clima na Ilha de Skye…

Na Ilha de Skye chove muito! Chove demais, segundo alguns. Os meses mais chuvosos são os de outubro a março, com janeiro a ser, historicamente, o pior mês para se escapar à queda de água. Como se costuma dizer por aquelas bandas, “não chove todo o dia, mas é quase certo que chove todos os dias”. A juntar à chuva temos o vento. Este, em algumas alturas do ano, tornam a visita a locais como o Quiraing, uma missão quase impossível e a Storr algo, no mínimo, muito desagradável. Cuidado com essas quedas e cuidado com os tripés, sobretudo os que tiverem câmeras agarradas!

Quando neva, neva quase sempre de forma “séria”. Tão séria que muitas vezes há áreas de acesso impossibilitado. Contudo, podendo podendo ser visitados nestas condições, locais como Old Man of Storr ou as Cuilins, carregados de neve, são uma visão marcante. Subir o Storr e tocar a neve no topo é uma sensação muito especial!

Não sendo propriamente uma questão climática, não se deve esquecer que com grandes chuvadas, grandes escorregadelas! Sobretudo num local como Skye em que, muito rapidamente, o terreno se transforma num imenso lodaçal. Muita atenção! Já vimos muitas quedas, algumas delas muito perigosas.

Quanto tempo devo reservar para visitar a Ilha de Skye?

Pode parecer não estar directamente relacionado com a “melhor altura para visitar Skye?”, mas verá que está. Pense no seguinte: se visitar a ilha numa altura de muita ocupação turística, demorará mais tempo a encontrar um local para deixar a viatura, seja onde for. Terá que a deixar muito mais longe dos pontos de acesso aos trilhos e terá de andar muito mais depois de terminar o trilho. O corpo sofre, mas quem sofre mais até é a paciência.

Se for fotógrafo terá de estar constantemente alerta para os perigos que representa o cruzamento com pessoas em alguns dos locais onde vai querer colocar o seu tripé. Não seja também um “obstáculo” adicional a quem quer desfrutar da ilha. A sua paixão pela fotografia não lhe dá direitos adicionais sobre os locais, trilhos, pontos de observação, etc. Não “acampe” o seu equipamento em locais onde frequentemente as pessoas gostam de parar para admirar a vista. Não seja esse(s) fotógrafo(a)!

Mesmo de madrugada, quando chegar a locais como o Quiraing ou Storr, ou ao fim do dia num sítio como Neist Point, “concorrência” para bons photo spots é algo que não faltará. Só por isto já poderá perceber que aquilo que poderia ser uma experiência tranquila de 3 ou 4 horas, facilmente se transformará numa corrida extenuante de 6 horas. Meia-dúzia de horas que lhe irão parecer bem mais!

Depois há a questão do clima. Se visitar Skye numa altura em que esteja sempre a chover ou em que o acesso ao ponto A ou B da sua lista de locais a visitar, estiver impedido, todo o tempo do mundo não lhe chegará para ver 5 POIs. Assim, considerando que escolhe uma boa altura do ano para visitar a ilha, digamos abril ou setembro, e que quer fotografar e não apenas visitar os pontos mais interessantes da ilha, aconselhamos um mínimo de 3 noites. Naturalmente, para um trabalho mais aprofundado, que lhe permita um estudo de cada local, abordagens a diferentes horas do dia, etc., pense seriamente em reservar mais de uma semana em Skye.

Na Viewpoint estamos a finalizar a reestruturação do nosso tour à Ilha de Skye. Visitas recorrentes em diferentes alturas do ano, permitem-nos agora filtrar o que acreditamos ter menos valor fotográfico, ou aquilo que dificilmente se encontra em condições óptimas numa visita relativamente curta. O nosso próximo tour deverá conter (ainda não está absolutamente definido) 3 noites em Skye. As restantes noites serão divididas entre Edimburgo e outras zonas de valor fotográfico semelhante a Skye que anunciaremos brevemente.

Alguns links úteis…