As Dolomitas oferecem algumas das melhores experiências de montanha na Europa. Os seus pálidos penhascos e pináculos salpicados de neve, acima do intenso verde, apresentam-se com uma imponência invulgar. Os prados, aqui e ali anotados de flores, juntamente com o intenso céu azul, promovem uma experiência de montanha forte, única e memorável.

Apesar de ser hoje parte integrante do território italiano, os vales dolomíticos têm gentes de uma cultura muito própria e até o monolinguismo é coisa que não existe. Entre italiano, alemão e ladino-dolomítico (ou apenas ladino) – havendo quem afirme que o mais desconsiderado até é o italiano – haverá sempre forma de exprimir o que se pretende. A cidade de Bolzano (“Bozen” em alemão) que é quase unanimemente considerada a porta de entrada para as Dolomitas, consegue ser uma mistura entre a limpeza e rigor austríacos e a paixão italiana.

As Dolomitas são como um gigantesco recreio para os grandes entusiastas do ar livre que procuram actividades de diferentes níveis de intensidade. São, simultaneamente, o destino perfeito para uma fuga idílica direccionada à redescoberta da natureza. É difícil não nos apaixonarmos pelos encantos desta área montanhosa tão singular. Temos a certeza que achará o mesmo quando as visitar. Abaixo, mais algumas razões porque não deve deixar de incluir este destino na sua lista de viagens.

Nas Dolomitas há algo para todos e para qualquer um…

As Dolomitas são um destino óptimo para qualquer altura do ano. Há uma abundância enorme de actividades no inverno e uma quantidade quase infinita de atividades ao ar livre durante os meses mais quentes do ano. Os viajantes podem andar de bicicleta, caminhar, escalar, andar de moto, acampar, circular de teleférico, e, mais importante do que tudo isso, fotografar a magnífica paisagem que se nos apresenta em qualquer altura do ano.

Trilhos e caminhadas…

Imagine que se farta de fotografar! Não compreendemos muito bem como, mas há gente para tudo. As possibilidades para caminhadas são quase ilimitadas! Há trilhos de todos as extensões e níveis de dificuldade. Ponto em comum? São todos belíssimos. Os trilhos estão bem sinalizados e existe uma consideravelmente extensa rede de abrigos de montanha. Alguns oferecem apenas as comodidades mais básicas, enquanto que outros servem comida quente e mesmo dormidas.

Paisagens singulares!

Há beleza em praticamente todos os lugares e direcções para onde se olhe nas Dolomitas! Desde os mais exuberantes campos verdejantes (dependendo naturalmente da altura do ano) aos picos mais verticais de cor pálida que adicionam dramatismo a qualquer fotografia que por lá se crie. Dos animais que salpicam os vales aos abrigos que funcionam como fantásticos pontos de escala, passando pelos vales dolomíticos, nem sequer os reflexos dos lagos faltam ao portefólio fotográfico das Dolomitas. Há de tudo e para quase todos os gostos.

História!

As reminiscências da Primeira Guerra Mundial estão um pouco por toda a parte. Há muitos pequenos museus privados carregados de história e artefactos. Estes vão-nos quase sempre narrando a passagem daquela região das mãos austríacas para as italianas. Existe também um impressionante museu ao ar livre em Lagazuoi, uma montanha onde foram construídos túneis pelas tropas italianas e pelo exército austro-húngaro, numa tentativa de controlo mútuo. Existe claro, a merecida homenagem a Ötzi, o homem-do-gelo (Múmia do Similaun), uma múmia bem preservada com cerca de 5300 anos descoberta por um casal de alpinistas, nos Alpes orientais, em 1991. Ötzi tem o seu próprio museu em Bolzano, e merece, muito naturalmente, uma visita.

Comida… perdão… Gastronomia!

A cozinha italiana e a austríaca misturam-se deliciosamente nas Dolomitas! E se há coisa que apetece ao fim de um longo dia de caminhadas e fotografia, é uma boa dose de “gastronomia”. Ora temos… polenta com cogumelos, cogumelos com tudo e mais alguma coisa, krapfen, canederli (knödel), pasta fagioli, ravioli recheados com abóbora, speck e Schüttelbrot, este último apenas para aconchegar o estômago.

Em jeito de resumo…

Viajando connosco, no sentido de maximizar a sua experiência e tempo no terreno, ou viajando a solo (leve a família que vão adorar), as Dolomitas são efectivamente um destino que não deverá deixar passar. Explore todas as possibilidades! Se é fotógrafo ou “simplesmente” apaixonado(a) por fotografia, entre em contacto. Os nossos itinerários são desenhados tendo em conta a maximização do seu tempo e dinheiro. Deixe-nos guiá-lo(a), preocupe-se apenas com a Fotografia.